A evolução da tecnologia e User Experience


Artigo Jean Flesch
O ano é 2006, a Copa do Mundo ocorre na Alemanha. O fuso horário nos obrigava a assistir partidas em horários que não estamos tão acostumados em nossas televisões que ocupavam metade da sala com o quíntuplo (sendo modesto) do peso e tamanho em relação às atuais -isso sem falar na qualidade da transmissão-.


Doze anos depois, agora, já na Copa da Rússia, as pré-históricas televisões foram substituídas pelas smartTVs, que se conectam à Internet, possuem sinal digital, reproduzem mídias de pen drives, HD externos pelas suas entradas USB  e por Bluetooth também. Ainda assim, nos damos ao luxo de assistir aos jogos através de streamings de sites esportivos ou, ainda, em um aparelho minúsculo que cabe em nossos bolsos, com um poder computacional maior do que o foguete que levou o homem à Lua e que dominou a preferência das pessoas: smartphones.


Nesse pequeno espaço de tempo, onde levávamos horas para baixar uma música em qualidade baixa e hoje assistimos em tempo real filmes em 4K, onde um disquete armazenava até 1,44Mbytes de dados e hoje estamos na ordem de terabytes. Muita coisa mudou e evoluiu para melhor (ainda bem!). E, a tecnologia sempre continuará evoluindo e se reinventando; afinal, as pessoas sempre descobrem novas necessidades (às vezes geradas pela própria tecnologia) e paradigmas surgem para serem solucionados por ideias inovadoras.


Daqui a mais três Copas do Mundo, o que nos aguarda em termos tecnológicos? Embora existam pesquisas e investimentos em áreas recentes (como Machine Learning e Realidade Virtual), é impossível prever se elas vingarão ou, quem sabe, alguma outra ideia revolucionária tomará  conta do mercado.


Independentemente desse contexto em “nível macro”, é imprescindível que as empresas que trabalham no setor digital estejam sempre atualizadas com as técnicas mais modernas e eficientes que o mercado oferece. Frente a isso, é importante ter uma visão constantemente aberta em relação à inovação, não se prendendo a uma única tecnologia. A consciência de que essa área evolui de forma acelerada e a consequente busca por conhecimento para aperfeiçoar técnicas antigas e dominar stacks atuais são desafios para a prestação de um serviço diferenciado.


Atualmente, design responsivo, métricas de SEO, construção de aplicações com componentes reativos são apenas alguns dos hot topics do momento. E, juntos com eles, novas tendências na User Experience (ou UX) surgem em paralelo, pois as aplicações deixam de ser produzidas para apenas uma plataforma. Hoje quando se desenvolve um site, por exemplo, os programadores devem pensar que os usuários poderão o conteúdo através de um computador desktop ou notebook,  por um celular ou tablet e, ainda, até por outros aparelhos como uma smartTV e um console. Obviamente, a Share Hunter domina as três categorias e nos preocupamos em entregar a melhor solução para nossos clientes. Porém, um diferencial que apresentamos é um desenvolvimento consciente e responsável. Por exemplo, voltando um pouco no tempo, a Internet era lenta e os sites demoravam até serem totalmente carregados (e não tinham nem metade dos recursos atuais!). Hoje em dia, a velocidade de transmissão é muito superior, então esse problema é amenizado. Contudo, seria inocência desconsiderar a parcela de usuários que necessitam utilizar dados móveis em smartphones. Infelizmente, a grande maioria dos sites não se preocupa em realizar ações simples para tornar mais leve e rápido o carregamento das páginas através de ações como otimização de código e compressão de imagens. Afinal, gastar todo seu plano para carregar um site seria bem frustrante, não?


E, como dissemos, a tecnologia muda e continuará mudando. Em paralelo, a Share Hunter se adapta e continua evoluindo também. Hoje, todos nossos sites e aplicações apresentam os conceitos aqui explicados como responsividade e otimização de conteúdo. Quando desenvolvemos uma solução, pensamos no usuário final que está acessando através de um desktop, de um notebook e obviamente para quem acessa de smartphones e tablets (Apple ou Android).


Logo, não podemos adivinhar o que nos reserva o ano de 2030 em termos de tecnologia, mas pode ter certeza que até lá a Share Hunter estará acompanhando todo o desenvolvimento tecnológico e entregando aos nossos clientes as melhores e mais inovadoras soluções do mercado.


inovação tecnologia ux design responsividade mobilidade

Jean Flesch

Desenvolvedor de Software

Desenvolvedor full stack há mais de 3 anos na Share Hunter, graduando em Ciência da Computação pela UFRGS e um nerd atlético sempre que possível.


Inscreva-se em nossa newsletter e não perca nenhum post ou novidade Quero me inscrever!

Entre em contato com nossos Especialistas